10 efeitos colaterais da "rádio peão"

De inofensiva a "rádio peão" só tem a aparência, pois ela é capaz de provocar a disseminação de fofocas mais simples até rumores que podem comprometer o clima organizacional e levar os talentos a se desligarem da organização. Destaco a seguir alguns 'efeitos colaterais' que a chamada "rádio peão" pode provocar em uma empresa.

1 - A liderança é o principal porta-voz da empresa. Dessa forma, deve partir do líder a iniciativa de transmitir ao seu time todas as informações que estão relacionadas às atividades laborais e que impactarão na performance individual ou coletiva. Porém, quando o líder percebe que seus liderados não mais o procuram com a mesma constância para se informarem sobre os assuntos ligados à empresa, isso é sinal de que outra fonte os alimenta de elementos. Essa "fonte" pode ser a "radio peão".
2 - Outro reflexo que a "rádio peão" costuma causar é fragilizar a credibilidade do líder junto ao seu time. Isso porque quando os liderados passam a receber informações "em primeira mão" de outra fonte que não seja da liderança, podem pensar que seu líder apenas se preocupa com os interesses da organização e que em momento algum se preocuparia com o bem-estar do time.
3 - Formação de grupos. A "rádio peão" tem o 'dom' de fazer com que as pessoas passem a formar grupos que culminam em provocar colisão com outros grupos. Isso acontece devido a uma falsa imagem que se criam, pois os indivíduos passam a acreditar que quando estão mais próximos uns dos outros, eles são mais fortes e se tornam capazes de obter informações valiosas que poderão ser utilizadas em benefício próprio.
4 - A desconfiança torna-se uma constante no dia a dia da empresa. Perceba que quando existe margem para fofocas disseminadas pela "radio peão", as pessoas passam a mudar de conversa quando os superiores se aproximam e os grupos rapidamente se dispersam.
5 - Outro efeito colateral provocado pelo fortalecimento da "rádio peão" é o comprometimento do desempenho individual e do espírito de equipe, uma vez que se quebra a confiança entre as pessoas. - "Se falam de fulano, por que não falam de mim também?". A partir do momento em que esse tipo de questionamento se torna uma constante, dificilmente os profissionais passarão formar equipes sólidas e a performance será prejudicada em curto ou médio prazo.
6 - Desconfiança enraizada na equipe o clima organizacional passa a ser comprometido. Para constatar o impacto que a "rádio peão" provoca como efeito cascata, basta apenas recorrer à aplicação de ferramentas como a pesquisa de clima organizacional.
7 - Quando a "rádio peão" corre solta pelos corredores da organização, a insatisfação contamina os profissionais que têm consciência do valor que podem agregar à empresa. E quando isso acontece, os índices de absenteísmo e do turnover aumentam, pois os talentos sentem-se desmotivados e tendem procurar oportunidades em outras empresas.
8 - A "rádio peão" também contribui para o aumento da desmotivação dos talentos, uma vez que as pessoas não se sentem mais seguras no ambiente que trabalham. E se isso acontece, as pessoas estão em seus postos de trabalho apenas para marcar presença e darem o mínimo possível de si no desempenho de suas atribuições. Não chamam as responsabilidades para si, ou seja, o mínimo que for feito já será o suficiente para uma empresa que não merece credibilidade.
9 - Quando os dirigentes organizacionais permitem que a "rádio peão" ganhe força, as fofocas se disseminam e, consequentemente, observa-se o aumento dos conflitos internos. Isso provoca a falta de equilíbrio de valores e, em muitos casos, o conflito que pode ser uma chance de aprendizado passa a ter um caráter de cunho pessoal, transformando-se em confronto.
10 - A "rádio peão" também estimula a disputa entre departamentos, de forma que não se considerem partes integrantes de um mesmo organismo, ou seja, os setores ignoram que unidos são capazes de obterem resultados mais expressivos para o negócio.

Fonte: Patricia Bispo - RH.com.br




Opine:

Fluxo Im�veis